terça-feira, 18 de setembro de 2007

SPAWN, o levado do beco


Por Nilton Rodrigues

Oi de novo seus moodistas zonados de uma figa. Sim, o título desse maldito post foi um infeliz "trocadalho do carilho" com "levada da breca". Apenas eu e meu amigo imaginário entendemos. Me deixa.
Mas o papo aqui não é as minhas esquizofrenias e sim a edição 165 e 166 do capeta Spawn. Vale um breve resuminho pros marinheiros de primeira viagem: O cramunhão desde janeiro passou por uma profunda reformulação lá nos States, para tentar atingir um público novo (leia-se vendas em queda livre e sagas mais podres que o cheiro da antiga borregar). Fiquei bem faceiro, pois nem na época em que achava que era Deus no céu e Todd McFarlane na terra, aguentava ver aquele baita homem chorando pelos becos de Nova Yorque,querendo ver aquela baranga da Wandaaaaaaaaa. Depois virou um bacanal com zilhões de demônios e filosofias baratas, era tão complexo que dizem por aí que Stephen Hawking declarou: "Está além de mim!" hahaha.
Bueno, dei uma colher de chá pro demônio e quando no mês passado a Média Pixel lançou a edição 165,e hoje (terça-feira) a 166, pude conferi-la, e graças a deus (ops), a comic deu um show!
Esqueçam os desenhos bizarros de Angel Medina, agora quem comanda a pena é o tal de Brian Haberlin, um cabra que não é o Picasso quadrinístico, mas tem um tom exato pra nova aura do gibi: mais realista, escuro e profundamente atmosférico. Realismo é a palavra de ordem para os roteiros de David Hine, que apostou naquilo que sempre imaginei para uma história so Spawn: Terror, violência, nudez e tudo quanto é tipo de expressão subversiva. O climão de Histórias adultas "a la" Vertigo Comics é sentido a cada quadro. A narrativa de cinema noir europeu também é bem marcante.
A história começa depois do acontecimento conhecido como "luz branca", onde Spawn nas edições anteriores, na hora do Armagedon, se voltou contra deus e Satã, e destruiu toda a vida na terra, recriando o mundo como era antes dessa bagaça toda ( na realidade uma pusta desculpa pra começar tudo de novo)!
Agora o demonio está recluso, e o mundo está em ordem (sem demônios e anjos enchendo o saco dos leitores), mas estranhos fenômenos começam ocorrer num apertamento de Nova Yorque, onde bizarros assassinatos estão acontecendo, aparentemente sem relação alguma. Só para citar um bizarro acontecimento nesse ap, um rapaz faz uma cirurgia de mudança de sexo de uma maneira bem caseira hahahaha!!!
Tudo isso nessa nova fase do soldado do inferno, mais adulta, aterrorizante,e por enquanto de muito bom gosto. Todos estão de parábens, inclusive a editora Media Pixel, que trouxe a edição nacional recheada de curiosidades e extras como esboços e rascunhos do roteiro. Só um porém: poucas páginas e o preço é um pouco salgado (R$ 5,90) para um mísero nerd proletariado. E se deus quiser (ops) e o ego do Sr. Todd McFarlane permitir, que venha mais histórias sanguinolentas e de qualidade.
Nota 9

Se cuidem-se-se

Um comentário:

NeTTy Ao sEu DiSPor disse...

tahhh mtoo showww o blooooggg

suuuper original cara do zoonaa!!!


bjaooo